Notícias

Destaque

Manejo de Percevejos

Os sugadores estão presentes na cultura da soja desde o período vegetativo
e se estendem até o final do reprodutivo. Dentre as principais espécies de
percevejos que causam danos na cultura da soja, destacam-se as espécies de
Nezara viridula (percevejo- verde).

Danos diretos podem ser vistos como abortamento dos grãos, redução do
potencial germinativo, de vigor, de massa, tamanho e teor de óleo dos grãos.

A germinação e o vigor estão relacionados com a morte dos embriões e enfraquecimento das sementes. O controle químico é a principal ferramenta para controlar percevejos em soja.

O manejo deve seguir uma linha que inclua as técnicas do Manejo Integrado
de Pragas – MIP, como o controle biológico, cultivares tolerantes, racionalidade no uso de princípios ativos, aplicação de produtos que possuam seletividade aos inimigos naturais e considerar o nível de ação para iniciar o controle.

#Nutrien #NSoluções #Agro #TerraNova

Destaque

Manejo Mofo Branco na Soja

O mofo branco, doença causada pelo fungo Sclerotinia sclerotiorum, apresenta alto potencial de prejuízo à cultura da soja. Possui muitos hospedeiros, restringindo as opções e as possibilidades para a rotação de culturas nas áreas com o histórico da doença.

O manejo do mofo branco deve ser realizado através da adoção de várias
medidas de controle que visam reduzir a taxa de progresso do inóculo (escleródios no solo), minimizando os riscos de uma epidemia, mantendo assim um nível abaixo do dano econômico.

Além do controle químico, a aquisição de sementes legais e certificadas
é uma ótima estratégia, pois essas passam por um rigoroso controle de
qualidade não sendo fonte de sementes infestantes, escleródios e agentes
contaminantes.

Também é importante pensar na rotação de culturas, possibilitando manejos diferenciados que permitam o controle de pragas, doenças e plantas daninhas, além do proporcionado nos cultivos de verão..

#Nutrien#NSoluções#Agro#TerraNova

Destaque

Soja – Manejo da Ferrugem

As estratégias de manejo da doença são: a ausência da semeadura de soja e a eliminação de plantas voluntárias na entressafra por meio do vazio sanitário para redução do inóculo do fungo, a utilização de cultivares de ciclo precoce e semeaduras no início da época recomendada como estratégia de escape da doença e a utilização de fungicidas.
Podem aparecer em qualquer estádio de desenvolvimento em cotilédones, folhas e hastes.

#Nutrien#NSoluções#Agro#TerraNova

Destaque

Soja – Manejo de doenças no final de ciclo

Alcançar uma boa produtividade na cultura da soja é desafiador. Além das questões climáticas e pragas ao longo do cultivo, doenças de final de ciclo da soja podem colocar em risco quase toda a produção.

Entretanto, utilizar cultivares resistentes para o manejo é uma das soluções. É muito importante utilizar sementes certificadas, principalmente porque muitos patógenos são transmitidos pelas sementes contaminadas.

Realize rotação de culturas com espécies que não sejam hospedeiras
dos patógenos das doenças indicadas para esta medida de manejo.

O Planejamento é essencial em qualquer atividade na lavoura, inclusive para o manejo de doenças. Com um planejamento agrícola bem feito, você organiza situações como compra de fungicida, aplicação de defensivos, tratamento de sementes, insumos e outros.

#Nutrien#NSoluções#Agro#TerraNova

Destaque

Capina do Milho

Uma Capina garante a Produção de Milho, porém, não Reduz o Banco
de Sementes de Plantas Espontâneas.
Na cultura do milho, o uso de herbicidas constitui uma opção para o manejo
da comunidade infestante presente no local, tendo como principais vantagens
o controle efetivo das plantas daninhas inclusive na linha de plantio, aliado
à rapidez da operação e sem causar injúrias ao sistema radicular do milho
(porta de entrada de doenças).
Existem várias opções para o controle químico de plantas daninhas nessa cultura,
com herbicidas passíveis de aplicação em pré e em pós-emergência.

Nutrien #NSoluções #Agro #TerraNova

Destaque

Aplicação Preventiva na Florada

É durante a florada que se define a produtividade dos cafezais. Exatamente por isso, a fase é considerada uma das mais importantes do ciclo de produção do café.

Por ser um momento tão crítico, a exigência com os cuidados e a saúde da planta também aumenta. Para prevenir o surgimento de problemas, é importante que o produtor mantenha o estado nutricional da lavoura de acordo com a recomendação por análise prévia de solo. O cafeicultor precisa seguir alguns cuidados, como:

Nutrir a lavoura de forma equilibrada antes da florada, pois todos os nutrientes são importantes para o processo, com destaque para o cálcio e o boro. Essas substâncias precisam estar dentro da planta para que ela se desenvolva saudável e manter as folhas sempre sadias e com o controle eficaz das doenças do café, como a mancha-de-phoma (Phoma costaricensis), considerada uma ameaça para a produtividade. Para isso, é necessário realizar pulverizações foliares Pré e Pós-florada com fungicidas preventivos e curativos e nas doses ideais.

#Nutrien#NSoluções#Agro#TerraNova

Destaque

Dessecação X Plantabilidade

A dessecação pré-colheita consiste na aplicação de herbicidas quando a semente atinge a maturação fisiológica.

Nesse estágio de desenvolvimento da planta, o grão apresenta a melhor qualidade fisiológica, com máxima germinação e grau de deterioração mínimo.

Assim, quando é feita a pulverização do herbicida, a planta morre e suas folhas secam, o que uniformiza a maturação e permite adiantar a colheita. É uma prática muito comum que tem três objetivos: uniformizar a área da soja, controlar plantas daninhas e antecipar a colheita, pois o produtor obtém uma antecipação média de cinco dias e garante a melhor produtividade dos grãos.

#Nutrien#NSoluções#Agro#TerraNova

Destaque

Manejo de pragas iniciais nos cereais

A ocorrência de doenças, plantas daninhas e insetos pragas, juntos ou individualmente podem afetar significativamente o potencial produtivo da planta de milho. O manejo de pragas tem sido considerado como fator fundamental para reduzir as perdas ocasionadas pelas pragas levando em consideração além dos aspectos econômicos, também os aspectos ambientais, principalmente quando ainda se considera a utilização de um inseticida químico como parte das táticas do manejo. Vários insetos atacam as sementes, raízes e plântulas do milho após a semeadura. Uma das principais espécies é a:

Larva alfinete (Diabrotica spp.) A larva alimenta das raízes do milho e interfere na absorção de nutrientes e água, e também reduz a sustentação das plantas.

Por isso, Fique sempre Atento! Nutrien e Terra Nova. N Soluções para o agro e uma para você.

#NutrienBr#terranova#solucoesagricolas

Destaque

Nutrien dá boas-vindas aos colaboradores da Terra Nova

Realizamos nesta semana o “Dia 1” com o time da Terra Nova, o primeiro dia de uma série de atividades que marcará a integração da empresa à Nutrien. A ação foi realizada na sede da empresa em Três Corações (MG), de onde o presidente da Nutrien para a América Latina, André Dias,  o diretor de Varejo no Brasil, Carlos Brito e o time de Liderança da Nutrien deram as boas-vindas aos mais de 100  colaboradores da Terra Nova.

O evento de integração, realizado após aprovação do CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), marcou a aquisição da Terra Nova, que agora fará parte da Nutrien Soluções Agrícolas, na construção da maior e melhor plataforma de soluções agrícolas no Brasil. Este encontro foi realizado seguindo todas as regras de segurança e prevenção ao Covid-19.

Destaque

Nutrien fecha acordo de compra da Terra Nova: aquisição aprovada pelo CADE

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) aprovou uma das mais recentes aquisições da Nutrien: a empresa Terra Nova, rede de distribuição de insumos agrícolas com sede em Três Corações, no interior de Minas Gerais. A negociação foi aprovada pelo CADE no dia 31 de agosto e o órgão entende que a transação não irá afetar, de maneira adversa, a concorrência no setor.

Para a Nutrien, essa aquisição oferece importantes oportunidades para seu crescimento no mercado agrícola brasileiro, assim como favorece o fornecimento de novas ofertas e soluções para ajudar os produtores agrícolas a se tornarem mais rentáveis e a expandir seus negócios.

Sobre a Nutrien

A Nutrien é a maior fornecedora mundial de insumos e serviços agrícolas, desempenhando um papel fundamental em ajudar os produtores a aumentarem a produção de alimentos de maneira sustentável. Produzimos e distribuímos cerca de 27 milhões de toneladas de produtos de potássio, nitrogênio e fosfato em todo o mundo. Com essa capacidade e uma rede líder de varejo agrícola, estamos bem posicionados para atender às necessidades dos nossos clientes. Atuamos com uma visão a longo prazo e temos o compromisso de trabalhar com os nossos stakeholders à medida que atendemos as nossas prioridades econômicas, ambientais e sociais. A escala e a diversidade de nosso portfólio integrado fornecem uma base de lucros estável, caminhos para o crescimento sustentável e a oportunidade de retorno de capital aos acionistas.

Nutrien Brasil

No Brasil, a Nutrien Soluções Agrícolas é uma das maiores distribuidoras de insumos agrícolas, desenvolvendo um varejo ágil, mais sustentável e conectado às tendências e às necessidades dos agricultores. Está presente nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Goiás, com mais de 24 lojas, 4 misturadores de fertilizantes e continua em plena expansão dos seus negócios para outras regiões. O compromisso da Nutrien com inovação, segurança e tecnologia permite à empresa oferecer os melhores produtos, serviços e soluções que contribuem com os agricultores, ampliando seus rendimentos e incrementando os resultados no campo.

Mais informações em https://nutrien.com.br/

Destaque

Café reduz o risco de morte por doenças cardíacas, diz estudo

Muitos dizem que um dia só começa após um cafezinho para levantar o ânimo, mas poucos sabem que esse hábito pode trazer mais benefícios do que apenas disposição e energia, fazendo bem para o coração.

Segundo o novo estudo divulgado pela Sociedade Europeia de Cardiologia, a ingestão regular de até três xícaras da bebida ao dia pode ajudar a diminuir o risco de mortes por doenças cardíacas. Em números, essa redução pode ser de até 21% para o risco de derrames e de 17% para o risco de morrer por alguma complicação cardiovascular.  

Coordenado pela Universidade Semmelweis, em Budapeste, o trabalho é um dos mais amplos já realizados até hoje. Os pesquisadores analisaram os hábitos de consumo de 468 mil participantes do banco de dados Biobank, do Reino Unido, que investiga dados de saúde, principalmente sobre a influência do ambiente no desenvolvimento de doenças.

Eles tinham como objetivo investigar a associação entre problemas cardiovasculares e a ingestão da bebida. A média de idade dos participantes foi de 56 anos, sendo 55,8% deles mulheres. Ninguém apresentava sinais de doenças cardíacas no momento do recrutamento.  

“Nossas descobertas sugerem que o consumo de até três xícaras de café por dia está associado a bons resultados cardiovasculares. Embora mais trabalhos sejam necessários para explicar os mecanismos mais aprofundada, os benefícios observados já indicam  alterações positivas na estrutura e função cardíaca”, diz a autora do estudo, Judit Simon. 

Uma das teorias principais para o resultado é que o café contenha compostos com ação no processo de inflamação e de oxidação do organismo.  O benefício não foi visto nem no consumo das versões com leite ou descafeinadas. 

Um levantamento recente das universidades de Edimburgo e Southampton, no Reino Unido, revelou, ainda, que a ingestão da bebida pode estar associada, inclusive, à redução do risco de desenvolvimento de doenças hepáticas em até 21%.   

“O café é amplamente acessível e os benefícios que vimos em nosso estudo podem significar que ele pode oferecer um tratamento com potencial preventivo para doenças hepáticas crônicas”, afirma o autor principal do estudo, Oliver Kennedy, da Universidade de Southampton.  

Beba com moderação  

Apesar dos benefícios recentemente comprovados em pesquisas, o consumo exacerbado da cafeína ainda é contraindicado, uma vez que pode causar arritmias, irritabilidade, nervosismo e insônia. Além disso, quando consumido sem moderação, o café pode estar associado a problemas de pressão alta em pessoas com predisposição a quadros de hipertensão, conforme pesquisa da Universidade de São Paulo (USP), publicada em 2019.

O café já foi considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como cancerígeno, mas foi retirado dessa lista em 2016. No entanto, a entidade manteve o alerta sobre os perigos do consumo de bebidas em altas temperaturas – assim como o mate –, que podem, sim, causar câncer no esôfago. A OMS considera como elevadas as temperaturas acima de 65ºC.  

Outro grupo que deve ficar em alerta é o das grávidas. Estudos indicam que a ingestão de cafeína durante a gravidez pode deflagrar problemas sérios, como aborto espontâneo, morte do feto e peso abaixo do ideal para a idade gestacional.

Fonte: https://saude.ig.com.br/

Destaque

Trigo/Cepea: Com proximidade da colheita, valores se enfraquecem

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é WhatsApp-Image-2021-08-31-at-09.14.22.jpeg

Mesmo diante da baixa disponibilidade de trigo em grão e da aquecida demanda por farelo, os preços internos do cereal estão em queda neste encerramento de agosto. De acordo com colaboradores do Cepea, a pressão vem da proximidade do início da colheita no País – as atividades devem começar em setembro. Assim, agentes de moinhos aguardam a entrada do trigo da nova safra no spot nacional para voltar a realizar negócios envolvendo maiores volumes. Além disso, mesmo com as geadas e o déficit hídrico nas lavouras, a produção desta safra pode ser recorde, o que gera expectativas de menores preços. Outro fator que também influencia o enfraquecimento das cotações internas é a desvalorização do dólar frente ao Real, tendo em vista que esse cenário torna o cereal importado mais atrativo. 

Fonte: https://www.noticiasagricolas.com.br/noticias/trigo

Destaque

Plantio de milho 21/22 do centro-sul do Brasil atinge 4,1% da área, diz AgRural

O plantio de milho verão no centro-sul do Brasil na nova safra (2021/22) havia atingido 4,1% da área até a última quinta-feira, em ritmo inferior ao índice registrado no mesmo período do ano passado (5,7%), apontou nesta segunda-feira a consultoria AgRural.

“Os trabalhos são puxados pelo Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Algumas poucas áreas também já começaram a ser semeadas no Paraná, mas são casos muito pontuais”, comentou a AgRural em nota.

Apesar de o plantio já estar em curso, “os produtores avançam com cautela, já que novas frentes frias podem resultar em geadas e consequentes problemas de germinação, a exemplo do que aconteceu no ano passado na fronteira oeste gaúcha”.

Já a colheita da segunda safra 2020/21 atingiu 79% da área, após avanço de nove pontos percentuais em uma semana, de acordo com levantamento da AgRural. Um ano antes, a colheita estava feita em 82% da área.

“Os trabalhos de colheita estão encerrados em Mato Grosso e tiveram bom avanço nos outros Estados, favorecidos pelo aumento das temperaturas”, disse.

No Paraná, porém, o atraso continua grande e há preocupação com a possibilidade de chuvas nos próximos dias, “que podem resultar em problemas de qualidade ainda maiores”, após geadas atingirem o cereal paranaense.

Fonte: https://www.noticiasagricolas.com.br/noticias/milho